Sobre a melatonina

melatonina

Hoje eu convido a doutora Janaína Barboza para falar sobre a Melatonina, confira:

Melatonina (ou Indolamina) é um hormônio produzido na glândula Pineal (mas não só nela), uma pequena notável que aloja-se em nosso cérebro e tem várias funções importantes na manutenção da saúde humana; dentre elas o estabelecimento do ciclo sono-vigília ou claro-escuro. Os gregos chamavam a glândula Pineal de “ terceiro olho”, e hoje entendo o porquê.

Chamada de “ hormônio do sono”( o nome mais apropriado seria “hormônio da escuridão” defendem alguns autores), esta substância tem a função de avisar ao nosso corpo quando é noite e que portanto, devemos dormir. Para que esta orquestração perfeita seja possível, a glândula Pineal tem ligação direta com a retina, que são as células nervosas do olho, as quais permitem que enxerguemos (“ transportam a informação do que vemos no mundo externo para o cérebro interpretar na forma de imagens”); desta forma, percebemos que está escuro através dos olhos, que avisam ao cérebro que é hora de descansar. E devemos obedecer.

As funções da melatonina são:

  • Modular resposta imunológica (aumenta atividade e mobilidade das células de defesa & estimula produção de anticorpos);
  • Atividade anti-inflamatória (devendo ser usada com cautela e acompanhamento médico especializado em portadores de Asma Brônquica);
  • É o segundo melhor antioxidante cerebral, evitando o envelhecimento precoce deste nobre órgão e claro, as doenças ligadas ao envelhecimento (dentre elas Alzheimer  e Demência Senil);
  • Precursora direta de Serotonina (neurotransmissor responsável pelo prazer), modulando também seus níveis fisiológicos (melhor do que a maioria dos antidepressivos largamente utilizados) a depender da exposição à luz (ou seja, o sol tem efeito antidepressivo natural);
  • No Jet lag (transtorno do ritmo de sono dos viajantes entre fusos horários) têm excelente resultado evitando tal mal;
  • Ajuda no restabelecimento do ritmo natural do sono-vigília dos trabalhadores noturnos;
  • Tem ação cardiovascular, diminuindo a frequência cardíaca e a pressão arterial; efeitos fisiológicos do sono reparador;
  • Exibe exuberante ação no aparelho reprodutor feminino; regulando a ação dos estrogênios nos ovários e mamas, estimulando a maturação folicular (em outras palavras, contribuindo para a ovulação competente e adequada produção de progesterona, hormônio fundamental para a gestação e a vida feminina equilibrada; i.e; age na fertilidade feminina) e também, exibe atividade moduladora na produção de estrogênios (é um inibidor de aromatase, enzima que ajuda na biotransformação de testosterona em estrogênios), função de máxima importância na regulação hormonal de um corpo saudável , evitando desta forma, o câncer hormônio-dependente;
  • Cronobiótico, tem a função de sincronizar os ritmos biológicos intrínsecos, preparando o corpo para a noite e o dia; assim como para as várias estações do ano;
  • Pode ser utilizada no tratamento de distúrbios do sono, após avaliação criteriosa do paciente e sempre, com indicação médica (não podemos nos esquecer tratar-se de um hormônio, e como tal, requer indicação precisa e responsável, feita por profissional que conheça a matéria); respeitados os requisitos, não são conhecidos efeitos colaterais de seu uso;
  • É uma alternativa segura e eficaz para ajustes do sono em crianças e idosos, sem efeitos colaterais (respeitando-se sempre a individualidade da dose e a boa indicação) tampouco interações medicamentosas perigosas; sem riscos de intoxicações ou erros na dose que podem levar ao coma ou morte ( risco relativo importante ao tratar-se de sedativos e hipnóticos, como os benzodiazepínicos, tão difundidos em nosso país);
  • É considerada a mais importante substância sincronizadora endógena, controlando padrões secretórios de diversas substâncias, dentre elas o cortisol;
  • A melatonina atua muito bem na eficiência do sono, aumentando o sentimento de sono restaurador e melhora da funcionalidade diurna; esta substância proporciona um sono fisiológico e reparador, produzindo todos os efeitos benéficos de uma” boa noite de sono bem dormido”, de forma natural, sem causar dependência química ou efeitos rebotes (reação de abstinência à retirada abrupta de remédios que causem dependência);
  • A dose a ser utilizada deve ser recomendada pelo médico prescritor e monitar resposta; em caso de dor de cabeça ou sonolência ao acordar, rever dose. Provável erro no cálculo, totalmente ajustável caso a caso;
  • Pode ser encontrada no leite materno e atua na regulação do sono do bebê;
  • Promove sonhos vívidos (um dos indícios de que você está dormindo bem, sonhar!);
  • Foi encontrada forte evidência de que o tratamento com melatonina restaura os níveis de um importante transportador de açúcar (o GLUT4) no tecido adiposo; interferindo (para melhor) então na Resistência Insulínica (primeiro passo no caminho para o Diabetes Tipo II, pandemia mortal que assola o mundo moderno); ou seja, você realmente precisa dormir bem e a noite.

melatonina

A Melatonina tem sua produção diminuída com a idade, indicando que também ocorre aqui, a “pausa” ; assim como ocorre a menopausa (cessam funções ovarianas e com isso, os hormônios estrogênios e progesterona passam a não existir naquele corpo), andropausa (diminuição ou término da produção de testosterona) e tireopausa (diminuição ou fim da produção de hormônios tireoideanos), que pouco a pouco passam a ser conhecidos, estudados, compreendidos e manejados clinicamente (com a modulação hormonal bioidêntica, modernamente tratadas assim) para melhoria da qualidade de vida, até o último momento em que for possível viver com qualidade e autonomia verdadeiras.

Neste mundo moderno e iluminado, repleto de estímulos luminosos fortes e em horários noturnos (pense na televisão da hora de dormir ou o tablet com as últimas mensagens do dia ou até, aquele joguinho imperdível) é uma boa estratégia conhecer os malefícios de tal exposição e dosá-la da melhor forma possível. Saibam, o mínimo estímulo luminoso CESSA a produção de melatonina. Ela começa a ser produzida, em média, 2h antes da hora habitual do sono e tem seu ótimo funcionamento até às 3-4h (com variações individuais) da madrugada. Caso você receba luz em seus olhos nestes horários, terá a produção deste “ ouro fisiológico” suspensa.

Por outro lado, cabe aqui a explicação do porquê que todo mundo consegue fazer dieta, só de dia. Chega à noite, ocorre um ataque compulsivo à geladeira, e o alvo é o carboidrato (açúcar nas mais variadas formas, de pães e massas, à doces, frutas, arroz, etc…), colocando todo o esforço do dia por água abaixo. Não, não é só com você que isto ocorre e a melatonina ajuda, e muito, a conter tais episódios. A resposta está na primeira figura do texto. Carboidratos contêm triptofano, o qual é precursor direto de Serotonina e indireto, de Melatonina. No fundo, apenas obedecemos nosso impulso neuroquímico e instintivo em busca da molécula precursora do nosso sono reparador e tão fundamental para a vida humana de qualidade. O corpo humano é uma máquina fantástica e inteligente! Sempre em busca do equilíbrio, chave da existência.

Por todos os motivos expostos, rendo aqui minhas mais sinceras homenagens à esta molécula magnífica, aguardada há pelo menos 10 anos para poder ser prescrita aqui no Brasil.

Bem vinda Melatonina!

Dra Janaína Barboza

MÉDICA

CRM/RJ 52.82.724-0

Assinatura-Gloria

Colchão Bemglô Tulipa - Queen

Colchão Bemglô Tulipa – Queen

Comprar

 

Não existe comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *