Agenda 2030

Começamos 2019 com um compromisso: a Agenda 2030. É ela que norteará nossas reflexões, ações e produções de conteúdo aqui no blog da Bemglô. Este documento complementa a nossa missão, o que acreditamos e defendemos. E agora, ao longo deste novo ano, se faz ainda mais necessário abraçar e incorporar essas medidas, explorar os seus conceitos e dinamizar as suas interpretações em formas de conhecimento. A Agenda 2030 é um plano de ação lançado pela Organização das Nações Unidas em 2015, como um compromisso global para em 15 anos, e até 2030, implementar 17 ações para o desenvolvimento sustentável, promovendo vida digna para todos, de forma intergovernamental, erradicando a pobreza em todas as suas dimensões e nos limites do planeta, sem deixar ninguém para trás.

Como surgiu a Agenda 2030

A Agenda 2030 é resultado de um trabalho que a ONU desenvolve há décadas, desde que se passou a refletir ainda mais profundamente o conceito de Desenvolvimento Sustentável, bem definido pela primeira vez no relatório Nosso Futuro Comum, de 1987: ” O desenvolvimento que procura satisfazer as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazerem as suas próprias necessidades”. É buscando garantir o presente sem negligenciar as possibilidades de futuro que centenas de países têm se reunido ao longo dos anos para desenvolver ações globais e acompanhar o seu andamento. A Agenda 2030 é apenas a mais recente e completa dessas. São 17 objetivos gerais, desdobrados em mais de 160 metas pontuais, frutos de 8 objetivos primeiros lançados em 2000 na Declaração do Milênio.

Este documento, lançado na virada do século, reuniu 8 Objetivos do Milênio (ODM) após uma série de cúpulas realizadas durante a década de 1990. Uma dessas reuniões foi a Rio 92, quando 100 chefes de estado chegaram ao Rio de Janeiro para a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento. O resultado desse trabalho foi a Agenda 21, que desenvolveu 27 princípios para empreender um novo padrão de desenvolvimento para o século XXI em escala planetária. Acesse o documento aqui. Em 2010, após experiência de 1 década no novo milênio, o documento “Uma vida digna para todos” foi lançado pela Cúpula das Nações Unidas como forma de averiguar e acelerar as implementações dos Objetivos do Milênio. Foi também um primeiro passo para se pensar ações futuras, pós 2015. Quando lançados, os ODM foram pensados como propostas para os primeiros 15 anos dos anos 2000.  

“Uma nova era pós-2015 exige uma nova visão e uma estrutura responsiva. O desenvolvimento sustentável – impulsionado pela integração do crescimento econômico, justiça social e sustentabilidade ambiental – deve se tornar o nosso princípio orientador e procedimento operacional padrão”, diz o relatório publicado em 2010. Foi o primeiro passo para o desenvolvimento da Agenda 2030, implementada 5 anos depois. Neste intervalo, 70 países se reuniram no Grupo de Trabalho Aberto para a elaboração dos ODS (Objetivos Globais para o Desenvolvimento Sustentável. O resultado apresentado na Assembleia Geral da ONU de 2015 foi o “Relatório Transformando Nosso Mundo: a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável”, com as tarefas a serem cumplidas pelos governos, sociedade civil e o setor privado. São elas:

 

  1. Erradicação da pobreza: criar marcos políticos sólidos e internacionais, implementar sistemas de proteção social, garantir os direitos iguais aos recursos econômicos e reduzir a exposição e vulnerabilidade. Leia as metas específicas aqui.
  2. Fome zero e Agricultura Sustentável: Acabar com a fome, todas as formas de desnutrição, alcançar a segurança alimentar e promover a agricultura sustentável. Leia as metas específicas aqui.
  3. Saúde e Bem-estar: Assegurar a cobertura universal de saúde, reduzir a taxa de mortalidade global e promover o bem-estar para todos, em todas as idades. Leia as metas específicas aqui.
  4. Educação de qualidade: Assegurar a educação inclusiva e equitativa de qualidade, promover oportunidades de aprendizagem e eliminar as disparidades de gênero na educação. Leia as metas específicas aqui.
  5. Igualdade de gênero: Acabar com todas as formas de discriminação, empoderar todas as mulheres e meninas, e garantir a igualdade de oportunidades para a liderança em todos os níveis de tomada de decisão na vida política, econômica e pública. Leia as metas específicas aqui.
  6. Água potável e saneamento: Assegurar a disponibilidade e a gestão sustentável da água, aumentar substancialmente a eficiência do uso e fortalecer a participação das comunidades locais. Leia as metas específicas aqui.
  7. Energia acessível e limpa: Assegurar o acesso confiável, sustentável, moderno e a preço acessível à energia para todos. Leia as metas específicas aqui.
  8. Trabalho decente e crescimento econômico: Promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, o emprego pleno e produtivo e o trabalho decente para todos. Leia as metas específicas aqui.
  9. Indústria, inovação e infraestrutura: Construir infraestruturas resilientes, promover a industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação. Leia as metas específicas aqui.
  10. Redução das desigualdades: Empoderar e promover a inclusão social, econômica e política de todos; melhorar a regulamentação e monitoramento dos mercados e instituições financeiras globais; e reduzir a desigualdade dentro dos países e entre eles. Leia as metas específicas aqui.
  11. Cidades e comunidades sustentáveis: Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis. Leia as metas específicas aqui.
  12. Consumo e produção responsáveis: Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis, alcançar gestão sustentável e uso eficiente dos recursos naturais. Leia as metas específicas aqui.
  13. Ação contra a mudança global do clima: Reforçar a capacidade de adaptação a riscos relacionados às catástrofes naturais em todos os países, aumentar a conscientização e a capacidade humana e institucional sobre mitigação global do clima. Leia as metas específicas aqui.
  14. Vida na água: Conservar e promover o uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável. Leia as metas específicas aqui.
  15. Vida terrestre: Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda. Leia as metas específicas aqui.
  16. Paz, justiça e instituições eficazes: Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis. Leia as metas específicas aqui.
  17. Parcerias e meios de implementação: Fortalecer os meios de implementação e revitalizar a parceria global para o desenvolvimento sustentável. Leia as metas específicas aqui.

 

Como pode-se observar, os ODS são amplos e abrangem centenas de ações locais e universais para transformar o mundo em um ambiente seguro, diverso e próspero aliado às capacidades naturais do planeta. Desde hoje, 1 de janeiro de 2019, temos somente 11 anos para colocar em prática essas ações e alcançar todos os 17 objetivos. Nossa contribuição, aqui na Bemglô, será desdobrar esses pensamentos e conhecimentos em nossos conteúdos. Não será uma missão fácil, mas certamente transformadora e gratificante. Esperamos por vocês nessa trajetória.

Não existe comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress Appliance - Powered by TurnKey Linux