Atitudes que inspiram: ampliando o acesso à água

Salve, Glorioses. Um dos grandes desafios que o mundo todo precisa enfrentar é a falta de acesso à água.

No Brasil, ainda por cima, temos que lidar com o envenenamento de importantes fontes naturais causadas por crimes ambientais de todo tipo: a falta de coleta de lixo, de saneamento básico, o rompimento de barragens e o uso excessivo de agrotóxicos que já contaminaram as águas de mais de mil municípios brasileiros segundo investigação da Agência Pública. No entanto, nós precisamos da água para sobreviver.

Felizmente a capacidade humana, em seu melhor estado, nos traz notícias de pessoas, projetos e coletivos dispostos a reverterem esse quadro e muito me orgulha que uma de minhas filhas, a atriz e cantora Cleo, enquanto Embaixadora da Boa Vontade da Unesco Hidro, tenha se envolvido e financiado um projeto que levou água para escolas de três regiões, em Cabo Verde – talvez o país africano que mais sofre com a falta de água. A iniciativa, além de permitir o acesso à água,  também capacitou a comunidade sobre o seu uso sustentável.

Iniciativas brasileiras

Aqui, outras iniciativas também nos inspiram, como a o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão, onde Professores e alunos, em parceria com o poder público, montaram um  sistema que levou água encanada para comunidades em uma área equivalente a três Alagoas!

No Semiárido Pernambucano, em uma comunidade onde a grande maioria das famílias são chefiadas por mulheres, o projeto Água para Vidas repara os telhados existentes para que a água da chuva seja armazenada em cisternas.

A ONG Saúde & Alegria dialoga com as comunidades ribeirinhas de Santarém, utilizando conhecimento local para levar água para outros pontos da Bacia Amazônica. Um projeto pioneiro, várias vezes premiado no Brasil e no exterior.

Na cidade é quase impossível pensar uma vida sem água, mas é importante ter consciência das realidades diferentes da nossa. Em um mundo que caminha para a falta d’água, precisamos compreender a importância da manutenção das fontes naturais, especialmente por parte das comunidades que, pela falta de um programa que propicie a moradia regularizada, normalmente se formam perto de rios, lagoas e lagos.

Seria tão bom se pudéssemos plantar água! E, na verdade, podemos – através da Agrofloresta, que com o plantio sustentável, equilibra o ciclo natural da vida. Essa é a mensagem que essas atitudes inspiram. E como é bom saber que, cada vez mais, encontramos exemplos de cooperação em todo o Brasil e também no mundo.

Estamos juntes!

Um beijo e até a próxima Quarta Gloriosa.

Não existe comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress Appliance - Powered by TurnKey Linux