Comendo Seu Jardim

Salve, Glorioses! Pensando em exemplos inspiradores para os Objetivos 11 e 12 da Agenda 2030, da ONU, que pedem nossa atenção quanto a garantir que “cidades e assentamentos humanos sejam inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis” e a “assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis”, achei oportuno contar como a roteirista Edmara Barbosa tem promovido esses objetivos, abrindo as portas de sua casa em São Paulo e ampliando  as suas relações pessoais.

Em 2016, enquanto escrevia a novela Velho Chico, Edmara conheceu o professor Ernst Gotsch, de quem muito temos falado por aqui – agricultor e geneticista, que vive no Brasil há mais de 30 anos promovendo uma nova forma de plantar alimentos. 

A agricultura sintrópica é o verdadeiro princípio para alcançarmos os padrões de produção sustentável: sem desmatar, planta-se, numa mesma área, os vegetais que se integram e se ajudam, inclusive regenerando áreas verdes de forma totalmente natural!

Inspirada por esse encontro e pelo encantamento gerado por essa prática, Edmara abriu o quintal de sua casa para que, junto com companheiros de uma rede de sustentabilidade, começassem a colocar em prática a ideia de um jardim sintrópico. Utilizando a experiência que teve no quintal de sua casa, surgiu o Comendo o Seu Jardim.

Os impactos do paisagismo no exterior de sua casa foram grandes, mas  maior ainda foram os impactos em sua vida: abrir as portas de casa foi o mais difícil, por conta do medo qual somos obrigados a viver. Mas o fato é que ao perceber que mal conhecia seus vizinhos, muitos laços de afeto se formaram ou fortaleceram a partir dessa experiência da comunhão com a terra. Assim, sua sala de estar virou sala de aula e ela resolveu desmanchar a garagem para ampliar o jardim comestível.

Edmara  agora vai  levar essa experiência de reflorestamento e contato interpessoal que aconteceu com o projeto ‘Comendo o Seu Jardim’ para Minas Gerais, em conjunto com o Centro Socioeducativo de Ipatinga um trabalhando na reabilitação de pessoas em vulnerabilidade,  recuperando áreas verdes mas também resgatando pessoas e reconectando-as com a vida.

Quem também abraçou essa ideia foi a  Coordenação de Educação Ambiental e Cultura de Paz, que transformou o projeto em um curso de agrofloresta a partir desse dia 19 de agosto, em São Paulo. Clique aqui para se informar. 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Sintropia é comunhão, e o que o projeto de Edmara faz às plantas, que se comunicam, se ajudam e crescem juntas,  faz exatamente o mesmo às pessoas que têm contato com essa experiência. 

Nós somos parte dessa natureza, e essa é a essência. Que tal começar esse processo dentro de casa também?

Um beijo e até a próxima Quarta Gloriosa.

 

 

 

 

 

 

 

Não existe comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress Appliance - Powered by TurnKey Linux