Ecomuseu de Ilha Grande

No local onde por 100 anos vigoraram um dos maiores complexos penitenciários do Brasil dos séculos XIX e XX, hoje se instaura um espaço de conhecimento, pesquisa e cultura. O Ecomuseu de Ilha Grande, integrante do município Angra dos Reis no litoral sul fluminense, nasceu em 2009 para dar novo significado às construções que um dia foram de horror.

O Ecomuseu é projeto do Departamento Cultural da Sub-Reitoria de Extensão e Cultura da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), e ocupa as construções do antigo Instituto Penal Cândido Mendes, construído na Vila Dois Rios e desativado em 1994. Ao final dos anos 1800, Ilha Grande era uma região povoada por escravos, colonizadores, índios das tribos tupinambás e caiçaras, habitantes tradicionais do litoral sudeste e sul brasileiro. Hoje, o Ecomuseu tem a valorosa missão de manter viva toda essa história e cultura.

Ecomuseu: História Viva

Fachada do Ecomuseu. (Imagem: Facebook)

Além da reestruturação e preservação das construções do antigo complexo, o Ecomuseu Ilha Grande tem como objetivo promover pesquisas relacionadas à história da ilha, assim como seu meio ambiente e vida sociocultural. Com a desativação das instalações, a região passou a ser explorada pelo turismo, recebendo cerca de 120 mil visitantes ao ano. O ecomuseu, neste sentido, tem papel fundamental na difusão de informação sobre a Ilha. Para isso, ele se estrutura em quatro núcleos: o Museu do Cárcere, Museu do Meio Ambiente, Parque Botânico e Centro Multimídia.

O Museu do Cárcere ocupa o prédio principal da antiga construção, com a fachada original preservada. Sua função é registrar a história do presídio que um dia funcionou ali e refletir sobre todo o sistema penitenciário do estado do Rio de Janeiro. São quatro exposições permanentes que ocupam o prédio. “100 anos de presídios” tem curadoria da antropóloga Myrian Sepúlveda dos Santos e inaugurou o espaço em 2009. Ela traça um panorama das diferentes unidades prisionais implantadas na Ilha desde 1894 até a data da implosão da unidade Cândido Mendes. “Ontem e hoje“, com curadoria do historiador Gelsom Rozentino, é resultado do projeto “História e memória do sistema penitenciário do Estado do Rio de Janeiro” e busca construir uma visão sobre a construção e funcionamento das unidades penais e hospitalares ao longo da história através de registros fotográficos. No prédio onde foi a padaria do presídio, a mostra “Comida e Cárcere” apresenta a rotina alimentar da penitenciária. Já o projeto “Ecomuseu Recicla” possui uma mostra com obras criadas com materiais coletados pela ilha e reciclados pelos artesãos da vila de Dois Rios. A curadoria é do antropólogo Ricardo Gomes Lima.

O Museu do Meio Ambiente foi instalado no pavilhão feminino do presídio, onde posteriormente também esteve o escritor Graciliano Ramos, preso político em 1936 e encarcerado por 11 anos.  Hoje o Museu proporciona exposições, estudos e atividades em educação ambiental, abordando a biodiversidade e a sustentabilidade de forma lúdica e interativa. Já o Parque Botânico identifica e documenta as espécies da flora local, com ênfase nas que estão interligadas à história da Ilha, como as plantas medicinais e madeiras utilizadas nas construções. O Parque foi inaugurado com replantio de espécies nativas e foram catalogadas mais de mil espécies entre ervas medicinais, orquídeas e bromélias. Já o Centro Multimídia atua em parceria com todos os outros núcleos. É o espaço responsável pela documentação da história e memória da Ilha, garantindo ao cidadão o acesso à informação, e também onde ocorrem oficinas de informática, animação, cinema, fotografia, entre outros.  

Ecomuseu em parceria com a comunidade

Manter vivo o conhecimento sobre a Ilha Grande não seria possível sem um intenso trabalho em parceria com a comunidade. A Equipe do Ecomuseu atua diretamente com os moradores e principalmente com as escolas locais, organizando visitas guiadas aos espaços, participando das atividades acadêmicas das instituições, e levando o museu até a população. No ano passado, o Ecomuseu esteve presente em uma série de escolas como parte da programação da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, levando informação, acervos e atividades para os estudantes. Na Semana do Meio Ambiente, as crianças foram até o Museu, onde ocorreram atividades como a oficina de sustentabilidade com o projeto Stand UPET, dos alunos do curso de Oceanografia da UERJ.

Entre os projetos que fazem a ponte entre Ecomuseu e Comunidade estão o Ecomuseu Recicla, que promove alternativas para o desenvolvimento sustentável da Vila Dois Rios a partir do artesanato, com oficinas que ensina os moradores a criarem produtos artesanais com os resíduos sólidos; O Projeto Bibliotecas Comunitárias, que propõe levar o acesso à leitura para as principais vilas de Ilha Grande; além dos projetos Museólogos de Família, que resgatam junto aos moradores objetos familiares que contam a própria história e também da ilha; e projetos de preservação da cultura caiçara, oficinas de artes, contação de história, cineclubes, entre outros. Todas as atividades e espaços do Ecomuseu proporcionam a interação homem-meio ambiente e atuam fortemente na preservação da cultura nativa.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Como chegar ao Ecomuseu

A Ilha Grande é a maior ilha do estado do Rio de Janeiro e terceira maior do país, com área de 193 quilômetros quadrados. É composta por 106 praias e faz parte do corredor biológico da Serra do Mar e da Reserva da Biosfera da Floresta Atlântica, reconhecida pela Unesco em 1992. Além disso, é declarada patrimônio ambiental desde 1987 e tombada Reserva Biológica pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural – INEPAC. Com tamanha importância ambiental, há uma série de regras para a sua ocupação.

O acesso ao Ecomuseu Ilha Grande se dá por terra ou mar, com serviço de lanchas particulares. À pé, é preciso percorrer 11 quilômetros pela Trilha Abraão – Dois Rios, com tempo médio de 2h30 de caminhada. O museu oferece transporte para grupos de até 20 pessoas, mediante prévio agendamento e com prioridade para terceira idade e escolas públicas.

O Ecomuseu funciona de terça a domingo, de 10h às 16h, e localiza-se na Rua Amapá, s/n, Vila Dois Rios. Agendamentos devem ser feitos pelos telefones (24) 3361-9055 ou (21) 2334-0939. Mais informações pelo e-mail [email protected] ou também pela página do Facebook.

Não existe comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress Appliance - Powered by TurnKey Linux