Estou Refugiado

Salve, Glorioses. Nesse mês de julho, vamos pensar em como  é possível “reduzir a desigualdade dentro dos países e entre eles”, como pede o Objetivo 10 da Agenda 2030. Para isso, vamos trazer projetos e ações pela inclusão social. 

Segundo a ONU estamos vivendo a pior crise humanitária em mais de 70 anos de existência da instituição, que foi criada logo após o fim da Segunda Guerra justamente para evitar que se repetisse aquele desastre. Seja por causa da guerra civil na Síria ou pela crise econômica na Venezuela, O fato é que mais de 80 mil refugiados estão vivendo hoje no Brasil e é fundamental a nossa ação para acolhê-los. 

Um Refugiado é toda pessoa que foi obrigada a deixar o seu país ou sua região por conta de sua sobrevivência – seja desemprego, fome, perseguição política, conflitos religiosos ou guerra. Em geral, têm dificuldade em comprovar sua identidade ou sua história devido às condições terríveis da fuga. No entanto, são pessoas com estudo, formação e qualificação profissional. Mas o desconhecimento gera muito preconceito, trazendo inúmeras dificuldades na inserção dessas pessoas no mercado de trabalho. 

Um projeto de inclusão

O projeto Estou Refugiado é uma plataforma de colocação onde pode-se encontrar currículos atualizados online e também conteúdo informativo, trazendo luz sobre a desinformação. Ele nasceu com uma página no Facebook em 2015, organizada por duas pessoas que se cansaram de esperar a solução e arregaçaram aS mangaS: a jornalista Gisela Rao e a publicitária Luciana Capobianco. 

Elas tiveram a ideia de disponibilizar a identificação desses profissionais, viabilizando suas colocações. Com a certeza de que “o preconceito acaba quando a compreensão começa”, fizeram um teste que serviu de base para esta campanha, com vários refugiados contando suas trajetórias. Instalaram totens para exibir o filme em centros culturais de São Paulo. Ao final, os visitantes recebiam o currículo de cada um para levarem consigo.  

Naquela época as amigas não podiam imaginar que acabariam sendo responsáveis  por empregar mais de 500 refugiados! Todos sabemos que o emprego é a estrutura de que todas as pessoas precisam para recomeçar, e é assim que o Estou Refugiado pensa e trabalha.

Graças a essa iniciativa, hoje temos na nossa equipe Bemglô o Manzambi Panzo Geraldo, vindo da Angola e há 5 anos no Brasil, formado em economia e mestrando em finanças. Contamos com ele para somar e multiplicar atitudes e projetos em prol de um mundo mais equilibrado.

Acesse o site oficial para ficar por dentro desse movimento e não deixe de acompanhar a página do Estou Refugiado, onde todo dia publicam um novo perfil e currículo. Se não tiver como ajudar, compartilhe com quem talvez possa. Acredite, é sempre possível fazer o bem.

Um beijo e até a próxima Quarta Gloriosa.

 

 

 

 

 

 

Não existe comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress Appliance - Powered by TurnKey Linux