Índios, Guardiões da Floresta

Salve, Glorioses! O Brasil é um país rico em diversidade cultural mas a nossa ancestralidade é indígena. Como estamos falando sobre a importância da água, este mês, não podemos nos esquecer do papel fundamental que os povos originários do Brasil tem na preservação da floresta em pé e em consequência, à água que usufruímos nas grandes cidades.

O líder indígena, ambientalista e escritor brasileiro Ailton Krenak exemplifica isso com um ditado indígena: “Nós devemos andar aqui na Terra pisando suavemente, como os pássaros voam no céu, sem deixar rastros”.  

As diversas etnias encontradas aqui quando chegaram as caravelas sobreviveram graças à relação respeitosa com a nossa Mãe Terra e o entendimento de que precisamos dela para sobreviver. O que chamamos hoje de sustentabilidade já está na identidade indígena desde a sua origem, pois têm em sua cultura a ética de retirar da natureza apenas o necessário para a sua sobrevivência, sem aniquilar o ecossistema necessário para a sua manutenção.

A riqueza do saber indígena

Infelizmente, por conta da exploração desordenada, já perdemos muito de nossa biodiversidade. No entanto, observando fotos de satélite sobre o nosso território, vemos que o desmatamento em terras demarcadas é mínimo, porque os indígenas são seus protetores. Em terras devastadas eles próprios fazem o trabalho do reflorestamento, como acontece no Xingu, e são os grandes defensores dos rios, como no Tapajós.  Por isso demarcar é preservar e é importante o apoio da sociedade civil, compreendendo que os povos indígenas não são empecilho ao desenvolvimento, ao contrário.

A ação do Ministério Público Federal também é fundamental, visando a manutenção das TI’s (Terras Indígenas), pela preservação da nossa fauna, flora e os direitos dos povos que já viviam aqui muito antes de sermos colonizados. Através de seus costumes e tradições,  eles nos mostram que é possível subsistir da natureza sagrada e que é possível também, prosperar em harmonia.

Depois de 32 anos desde que o Cacique Xavante Mário Juruna deixou o Congresso, temos agora a primeira deputada indígena eleita, Joênia Wapichana. Isso, além do fato de lideranças indígenas atuantes e articuladas, como Sônia Guajajara,  me enche de esperança de que poderemos celebrar o próximo Dia do Índio com ações efetivas em favor da demarcação de terras indígenas e dos direitos de mais de 305 etnias que ainda resistem.

O saber dos povos originários é imenso e temos muito o que aprender com eles, por todo o Brasil!

 

 

Não existe comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress Appliance - Powered by TurnKey Linux