Manifesto pela Paz – Um chamado
Quarta Gloriosa

Manifesto pela Paz – Um chamado

Manifesto pela Paz – Um chamado

Salve, Glorioses. “Não precisamos destruir para produzir“. Com este e tantos outros temas em mente, relativos não somente aos direitos indígenas mas à nossa sobrevivência, o líder Raoni Metuktire fez um chamado importante, que foi atendido por 45 lideranças indígenas na Aldeia Piaraçu (MT). O fruto foi um documento – Manifesto do Piaraçu, que traz a mensagem clara da importância que a demarcação desses territórios significa: somos um só organismo vivo – dependemos da natureza e ela, de nós.

Proteger o território indígena é essencial para qualquer projeto que envolva a ideia de futuro, mas essa não é uma luta nova. Desde o período da ditadura militar, assistimos seu ápice em 1996, ano em que mais terras foram demarcadas e direitos civis assegurados com o Decreto 1.775 que determina os procedimentos para demarcação, decaindo desde 2018 e agora com ameaça iminente de exploração; o desmatamento crescente, a remoção de famílias – contribuindo para a marginalidade nos grandes centros, devido à falta de trabalho para essa população; a degradação da biodiversidade e o caos climático que já estamos vendo  em todo o mundo.

O manifesto conclama à autonomia política para que os povos originários possam falar e decidir por si sobre o uso de suas terras, tendo o direito integral de gerir e cultivar, protegendo as reservas naturais, como tem sido desde muito antes dos anos 1.500. 

Como expressam, “precisamos proteger aquilo que nossos antepassados deixaram para nós. A terra, no pensamento indígena, é o centro da vida, e a liberdade de existir dos povos indígenas é ameaçada quando perdem a terra para caçar, plantar, ou os rios, como aconteceu ao Rio Doce, no crime ambiental em Mariana. 

Esses povos tem sofrido todo o tipo de achaques, seja pela falta de ensino, ou um sistema de saúde que se adeque às comunidades da floresta. Ou principalmente quando se afrouxam as leis que deveriam protegê-los, abrindo margem para a insegurança dessas famílias.

Somos contra tudo aquilo que destrói nossas florestas e nossos rios. Queremos acima de tudo o respeito às nossas vidas, nossas tradições, nossos costumes e à constituição federal, que resguarda nossos direitos.”

O líder Raoni parte agora em sua viagem pelo mundo, levando consigo 600 vozes, e anuncia que 2020 será um ano de união entre todos os parceiros dos povos indígenas do Brasil. 

Deixo aqui o podcast “Copio, Parente?” para entendermos mais das demandas dos povos originários do Brasil. Vamos juntes?

Leia o Manifesto do Piaraçu completo aqui

Um beijo e até a próxima Quarta Gloriosa!


LOJA BEMGLÔ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Selecione sua moeda
EUREuro
Abrir Chat
Precisa de ajuda?
Olá, como podemos te ajudar?