Moda, educação e futuro

moda

Por trás de toda a bela publicidade e do glamour das passarelas, existe um outro lado do universo da moda que é cheio de ameaças invisíveis. Este é um mundo fundado no vício tóxico que está lentamente destruindo nosso planeta, onde diversas fábricas ao redor do nosso planeta tratam nossas fontes de água como local de despejo e poluição.  O universo da moda é um dos que mais polui o nosso meio ambiente, além de ser responsável por influenciar o modo de vida de milhões de pessoas. Por isso, todos nós temos nossa parcela de responsabilidade nisso, mas ao mesmo tempo isso também nos coloca na posição de sermos a solução para este problema, fazendo pressão para que as marcas modifiquem seus modos de produção. No post de hoje vamos te ajudar a descobrir como!

Moda tóxica

De acordo com pesquisas feitas pelo Greenpeace, só na China 320 milhões de pessoas não têm acesso a água potável, 40% das águas superficiais são consideradas poluídas e 20% das águas subterrâneas usadas como água potável urbana estão contaminadas, por vezes com substâncias químicas carcinogênicas. Esses fatos, por si só, já são alarmantes. Se pensarmos na proporção que isso toma a nível mundial, a questão fica ainda mais séria: 2/3 dos itens de vestuário testados pelo Greenpeace contém produtos químicos perigosos, sendo que, uma vez que essas roupas são lavadas, essas substâncias são liberadas nos rios, lagos e mares.

Por isso, em todo o mundo um crescente número de pessoas está usando sua criatividade, habilidades de design e poder de compra para exigir uma moda produzida sem poluição. Unidos por uma crença compartilhada de que as roupas que vestimos devem conter uma história da qual podemos nos orgulhar, ativistas, blogueiros, designers, cientistas e modelos conseguiram convencer grandes marcas a se comprometerem a não usar produtos tóxicos durante a produção de suas peças.

Através da campanha Detox my Fashion (“Desintoxique minha moda”, em tradução livre) o Greenpeace fornece informações aos consumidores ao redor do mundo, para que saibam qual marca está fazendo o seu trabalho e qual não está. Assim, desafiam cada vez mais marcas da alta moda a reavaliarem a fabricação de suas roupas e a tomar medidas para evitar a poluição das águas. Entenda um pouco das ações feitas pelo Greenpeace e como a campanha repercutiu no vídeo abaixo (em inglês):

Reeducação fashion: a busca por uma moda limpa

Aqui na Bemglô estamos sempre engajados na luta por uma vida mais sustentável e na preservação do nosso planeta. Por isso, é importante que, como consumidores, estejamos sempre buscando mais fontes de informação para que possamos criar novos hábitos e rever nossos conceitos. Assim, poderemos unir informações como estas que o Greenpeace dispõe, com a nossa vontade de modificar os nossos hábitos de consumo, tornando-os mais sustentáveis e limpos.

Uma boa maneira de colocar em prática essa reeducação fashion é termos sempre em mente algumas perguntas e buscarmos suas respostas: Quem fez as minhas roupas/acessórios? Como eles foram feitos? Quem são as pessoas envolvidas em todo o processo de criação destas peças? Como o meu planeta está sendo afetado com isso?

São essas pequenas atitudes que fazem parte de um mecanismo que levará a uma solução para um grande problema mundial. Por isso, incorpore esses hábitos em sua rotina, questione-se sempre e faça uso das ferramentas disponíveis para se engajar nessa luta, sempre espalhando esta ideia ao seu redor! A informação e a busca por essa reeducação fashion são a chave para que o nosso futuro esteja protegido, assim como o do nosso planeta.

Para mais informações ou para saber como você pode participar diretamente da campanha #DetoxMyFashion do Greenpeace, visite: http://greenpeace.org/detox. Você também pode assinar a petição para diminuir os impactos do Fast Fashion aqui. Lembre-se: a nossa voz faz diferença!

Não existe comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress Appliance - Powered by TurnKey Linux