Ações Socioeducacionais da Portela

portela

O Grêmio Recreativo Portela é uma das mais tradicionais e a mais premiada Escola de Samba do Rio de Janeiro, com 22 títulos e 95 anos de história. Com todo esse prestígio, a Escola de Oswaldo Cruz/Madureira, Zona Norte, ainda desenvolve uma série de projetos sociais e culturais voltados para a comunidade. São aulas de dança, jiu-jitsu, de cinema, além de atendimento odontológico e pré-vestibular. Todos gratuitos.

Portela: Projetos Sociais

À frente dos projetos sociais da Portela está Hellen Mary, que define essas ações como um trampolim para a cidadania. Entre as danças estão o ballet (para iniciantes e crianças), a dança cigana, do ventre, e também o stiletto, dança característica com salto alto. As primeiras turmas tiveram início em setembro deste ano, com as professoras Marrie Marques,  Hadassa Marques e Márcia Cristina Batista. Já no Jiu-Jitsu, arte marcial japonesa, são 30 alunos, entre meninos e meninas, de 5 a 15 anos. A turma iniciou em maio, com os mestres Rafael e Rodrigo Noronha. 

Outros dois projetos desempenham um importante papel social para a comunidade da zona norte carioca: o atendimento odontológico e o pré-vestibular social. O atendimento odontológico é livre, tanto para adulto como crianças, e devido à procura é necessário agendar a sua consulta. Para isso, basta comparecer na Quadra da Portela, em Madureira, aos sábados entre 9h e 12h. É oferecido tanto tratamento curativo como também preventivo. O pré-vestibular teve início em agosto e teve 30 alunos em sua primeira turma. São recebidos jovens com base em sua situação socioeconômica.

A Portela é uma escola de samba de vanguarda. Sabendo do seu papel perante a sociedade, através do departamento de cidadania, ela oferece à comunidade um trampolim para cidadania e se preocupa com sua comunidade como um todo oferecendo saúde,  educação, esporte e lazer.”

Neste pacote de atividades socioeducacionais, destaca-se também a Por Telas, uma oficina de cinema que em sua primeira turma, que iniciou em maio deste ano, já produziu três filmes: “Do Samba ao Sample: Entre duas Culturas” (direção e roteiro: Ruan Lucena), “Um Craque Esquecido” (direção e roteiro: Ygor Lioi) e “Procuram-se mulheres” (direção e roteiro: Rozzi Brasil). Ao todo, foram 22 alunos e 10 professores envolvidos no projeto em parceria com a produtora Canto de Sala, de Cecília Rabello.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Portela: Projetos Culturais

Rogério Rodrigues é quem coordena outros projetos da Portela, para além da educação, voltados para a promoção de cultura. A Escola estrutura em sua quadra um Centro de Memórias por onde já passaram 14 exposições. A atual, “Na Madureira moderníssima, hei sempre de voltar cantar uma sabiá”, homenageia Clara Nunes, tema do enredo 2019 da Portela. É possível visitá-la sempre nas sextas-feiras de samba, nas feijoadas de sábado, e nos demais eventos da escola.

Neste sábado (10/11) ocorre a próxima edição da Portela de Asas Abertas, roda de samba que recebe grupos de dentro e fora do Rio de Janeiro, realiza saraus e lançamentos de livros. A agenda sempre inicia no mês seguinte ao Carnaval e encerra em novembro. Além da oficina Por Telas, a escola realiza também, desde 2013, o Cine Samba Candeia, sessões de cinema (com debate!) dentro da Quadra e com filmes sobre samba e carnaval. Já foram exibidos títulos como “Natal de Portela”, “O Mistério do Samba” e “O Rochedo e a Estela”. Normalmente, o Cine acontece em meses alternados com a Portela de Asas Abertas.

Estes e outros projetos são importantes porque permite à comunidade acesso às diferentes linguagens artísticas e um diálogo intercultural mais inclusivo, sempre tendo como eixo o trabalho sobre memórias, territórios, protagonismo afro-brasileiro, feminino e a diversidade cultural.”

O Departamento Cultural da Portela ainda desdobra-se em Consulados Culturais que levam suas atividades para fora do estado do Rio de Janeiro. É um projeto implementado desde 2015 com a fundação Consulado da Portela SP. A missão é divulgar os compositores e obras portelenses e multiplicar as ações sociais inclusivas, com as exposições e as diversas oficinas culturais.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Para 2019, a expectativa é dar continuidade a todos  esses projetos, educacionais e culturais. O Cine terá sua próxima edição, assim como serão abertas as triagens para o atendimento odontológico e a seleção para a próxima turma do pré-vestibular, já em fevereiro e março. Esteja atendo aos portais Portela Cultural, Portela Web e também às redes sociais oficiais para não perder nenhuma oportunidade: Instagram, Instagram Portela Cultural e Facebook.

Para a Avenida, terceira escola a entrar na Marquês de Sapucaí em 2019, a Portela relembrará a trajetória da cantora Clara Nunes (1942-1983) com o enredo da veterana carnavalesca Rosa Magalhães. Os autores do samba-enredo são Jorge do Batuke, Valtinho Botafogo, Rogério Lobo, Beto Aquino, Claudinho Oliveira, José Carlos, Zé Miranda, D’Souza e Araguaci. Confira a letra:

 

“Na Madureira moderníssima, hei sempre de voltar cantar uma sabiá”

Axé… sou eu

Mestiça, morena de Angola, sou eu

No palco, no meio da rua, sou eu

Mineira, faceira, sereia a cantar, deixa serenar

Que o mar… de Oswaldo Cruz a Madureira

Mareia… a brasilidade do “Meu lugar”

Nos versos de um cantador

O canto das raças a me chamar

De pé descalço no templo do samba estou

É rosa, é renda, pra Águia se enfeitar

Folia, furdunço, ijexá

Na festa de Ogum Beira-mar

É ponto firmado pros meus orixás

Eparrei Oyá, Eparrei…

Sopra o vento, me faz sonhar

Deixa o povo se emocionar     (refrão)

Sua filha voltou, minha mãe

Pra ver a Portela tão querida

E ficar feliz da vida

Quando a Velha Guarda passar

A negritude aguerrida em procissão

Mais uma vez deixei levar meu coração

A Paulo, meu professor

Natal, nosso guardião

Candeia que ilumina o meu caminhar

Voltei à Avenida saudosista,

Pro Azul e Branco modernista… eternizar

Voltei, fiz um pedido à Padroeira

Nas Cinzas desta Quarta-feira… comemorar

Nossas estrelas no céu estão em festa

Lá vem Portela com as bênçãos de Oxalá

No canto de um Sabiá        (refrão)

Sambando até de manhã

Sou Clara Guerreira, a filha de Ogum com Iansã

 

Para encerrar, uma homenagem de Gloria e Orlando à essa escola tão especial.

Não existe comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress Appliance - Powered by TurnKey Linux