Roteiros incríveis pela Amazônia

O que chamamos de Amazônia é uma floresta úmida que cobre a maior parte da Bacia Amazônica, um conjunto de recursos hídricos que culminam no Rio Amazonas. É a maior bacia do mundo, com 7 milhões de quilômetros quadrados. Desses, 5 milhões e meio é a Floresta, que tem 60% de sua extensão no Brasil. O restante divide-se pelo Peru, Colômbia, Venezuela, Equador, Bolívia, Guiana, Suriname e Guiana Francesa. A parte brasileira da floresta é chamada Amazônia Legal e atravessa nove estados.

Em uma área tão extensa, que atravessa fronteiras de estados e países, as opções de turismo são diversas e reúnem diferentes roteiros e experiências culturais. Abaixo, compartilhamos alguns que podem te instigar a conhecer mais dessa região tão rica para o Brasil e o mundo.

Sugestões de destinos pela Amazônia

Manaus, porta de entrada para a floresta

Imagem: AmazingTours

Manaus está localizada no encontro dos Rio-Negro e Solimões e é a capital do estado do Amazonas, além de ser também a principal porta de entrada da Amazônia para os amantes do ecoturismo por ter o aeroporto com maior capacidade do estado. Enquanto capital, possui estrutura turística completa: hotéis, restaurantes, agências de viagens… tudo voltado para a floresta.

Se você pretende conhecer um pouco da Amazônia, não tem local melhor para iniciar essa aventura. De lá saem expedições pelo Rio Negro, diversas opções de cruzeiros, guia para conhecer as comunidades nativas e diferentes pontos da Floresta. O Encontro dos Rios é um dos passeios mais populares, mas permita-se também conhecer os pequenos prazeres da cultura local, como a culinária tradicional e artesanato indígena.

Para os que não gostam de água, no Parque Ecológico do Janauari é possível conhecer diferentes espécies de animais e toda a diversidade da flora característica da região, como a sumaúma, maior árvore da Amazônia (até 50 metros de altura). Já no o Mercado Municipal Adolpho Lisboa a culinária local é apreciada de perto, com vastos tipos de peixe e o conhecido Tucupi, molho extraído da mandioca. Às margens do Rio Negro, a Praia da Lua é uma opção tranquila para descansar com toda a famílai. Uma típica praia, mas com água calma e doce.

Arquipélago de Anavilhanas

Imagem: Jason and Capri/Wikipedia

Aproximadamente 150 km de Manaus, na cidade de Novo Airão se localiza o Parque Nacional de Anavilhanas, criado com o intuito de preservar o impressionante Arquipélago de Anavilhanas, o segundo maior arquipélago do mundo com cerca de 400 ilhas em meio a floresta. Grande parte dessa região está sob preservação e por isso não é possível acessá-la livremente. Mas, ainda assim, a partir de Novo Airão há diversas opções de passeio pelo parque, como um dos mais tradicionais nado com os botos cor-de-rosa.

Nos períodos de seca (setembro a fevereiro), algumas praias se formam às margens dos rios. São muitas as opções: Camaleão, Folharal/Canauirí, Iluminado, Meio, Aracari, Bararoá, Sobrado e Tiririca. Já nos períodos de cheia (março a agosto), a diversão fica por conta das trilhas aquáticas, quando a água invade a floresta. Para os mais afortunados, não perca a oportunidade de avistar o monumento que é Anavilhanas dos ares, em vôos panorâmicos. De qualquer forma, pelos ares, rios ou floresta, a biodiversidade é o foco central, considerando que, atualmente, quem administra o Parque é o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade.

Parque Nacional de Manú, Peru

Imagem:  TwoWingsCorp/Wikipedia

Outro destino na Amazônia, mas fora do Brasil, é o Parque Nacional de Manú (Perú), entre os estados de Cusco e Madre de Deus. O parque foi criado em 1973, às margens do Rio Manú, parte ocidental da bacia amazônica. É um dos principais destinos de turismo ecológico do Peru, sendo também um dos parques com maior biodiversidade do mundo. Tamanha exuberância garantiu ao parque o reconhecimento enquanto Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco em 1977.

Grande parte do Parque é território indígena. São 30 as comunidades locais com cultura e língua preservadas. Por isso são cinco as zonas indicadas ao turismo: Salvador, Otorongo, Juárez, Pakitza e Limonal. Todas com fauna e flora preservados e belíssimos trechos navegáveis e turismo fluvial como na parte brasileira da bacia. Já pelo chão e por entre a floresta, as trilhas podem te colocar em contato com a fica flora e diversa fauna. O parque abriga mais de 200 espécies de mamíferos, como onça, anta, caititu, macaco prego e sendo o tigre negro um dos mais apreciados.

Para um passeio tipicamente turístico, conheça o mirante Tres Cruces, de onde é possível avistar a serra andina ou o bosque nublado. De lá, muitos visitantes escolhem avistar o nascer e pôr do Sol. No parque também está o Cocha Cashu, um dos maiores centros de pesquisa a Amazônia no mundo.

Comprar

 

Não existe comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress Appliance - Powered by TurnKey Linux