Síndrome X, um dos problemas da modernidade

síndrome x

A modernidade nos trouxe muitas soluções e alguns problemas, como por exemplo a Síndrome X.

Com o sedentarismo e hábitos alimentares duvidosos (afinal, o que nos é oferecido sob forma ultra-processada não deveria ser chamado de comida ou alimento, pois de fato, não são. Quem diz isso é o próprio corpo humano, que não consegue reconhecer estas moléculas oferecidas sob a forma de pães, doces, hambúrgueres, salsichas, sorvetes, refrigerantes, néctar (néctar?) de supostas frutas em caixas, leite achocolatado, embutidos, biscoitos, bolos feitos de gordura trans purinha {leia-se margarina ou gordura vegetal hidrogenada}), estabeleceu-se na humanidade um efeito ruim e de grande alcance, chamado Síndrome X ou Síndrome (Pluri) Metabólica ou Síndrome da Insulino-resistência.

A Síndrome X atinge pessoas de todas as idades e sexos, em todos os locais do mundo, sendo, portanto, classificada como uma Pandemia (ou Pandemia da Diabesidade = Diabetes + Obesidade). Ela é caracterizada por:

-Obesidade central ou visceral (gordura depositada no centro do corpo – região abdominal- ou a clássica “ barriga de cerveja”) ; *Mulheres com cintura > 88 cm; *Homens com cintura > 102cm;

-Pressão Arterial Elevada (pressão arterial sistólica > 130mmHg e pressão arterial diastólica > 85mmHg);

-Diagnóstico de Diabetes Tipo II ou Glicemia de jejum alterada ( >110mg/dL )

-Dislipidemias ( HDL baixo)

-Dislipidemias (Triglicerídeo alto)

O diagnóstico da Síndrome X é feito quando estão presentes 3 dos 5 critérios listados acima e deve ser tratado de forma total. Outros quadros associados à esta condição metabólica incluem: Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP), demência vascular, problemas renais, e esteatose hepática não-alcoólica (depósito de gordura no nosso fígado, altamente prejudicial para o corpo todo). Sim, você deve buscar ajuda de um profissional de saúde para receber orientações acertadas sobre seu caso específico e como revertê-lo.

Alguns afirmam não ter cura para esta (ou estas) condições; porém com uma mudança significativa nos hábitos de vida (alimentação e atividade física regular) há sim reversão do quadro, e sem uso “ para o resto da vida” de remédios.

Aprender que o veneno e a cura estão no mesmo ponto; que estes itens não-comidas que ingerimos estão nos matando e que, sim, comendo certo e mexendo o corpo com prazer podemos restabelecer nosso funcionamento perfeito é fundamental para nos livrarmos dos enganos oferecidos, como substituir alimentos saudáveis por não-comidas e remédios, já não faz mais tanto sentido em pleno 2018.

Este discurso ataca a causa e sem intenção alguma de vender remédios; apenas que vc busque de verdade, seu ajuste, seu ponto de equilíbrio natural. Você sabia, por exemplo, que quem não dorme bem não produz a Leptina (uma substância secretada no estômago enquanto dormimos e que sinaliza saciedade {ou “ pare de comer”} para nosso cérebro nos avisar quando estamos satisfeitos) e, portanto está mais susceptível  a ataques de compulsão alimentar, que levam ao estado de sobrepeso/ obesidade/ diabetes?

As consequências destas alterações são nefastas, levando a condições como AVC (Acidente Vascular Cerebral), Doença Coronariana (dos vasos que irrigam o coração), Insuficiência Vascular Periférica (doenças de vasos em membros, tromboses) e Aneurismas (que podem ocorrer em qualquer vaso do corpo, pois estes venenos inflamatórios são distribuídos justamente através dos vasos sanguíneos) e até mesmo o Câncer (a ciência já provou a relação direta entre ingesta de açúcar refinado e câncer de muitos tipos).

A base do problema é a condição inflamatória, crônica e sistêmica que se estabelece através da entrada destas não-comidas altamente inflamatórias pela nossa boca. A explicação é a glicação que ocorre em nossas membranas celulares, a “ caramelização” de nossas células, órgãos e sistemas, causada pela enorme e massiva quantidade de veneno sob forma dos mais diversos açúcares, naturais ou inventados. Este processo “corrói” nossos vasos por dentro e aqui se inicia o processo de depósito de gordura, fibrina e macrófagos em nossa parede de vasos, ou a aterosclerose.

Prevenindo a Síndrome X

Antigamente acreditávamos ser a gordura o vilão desta história. Só que não. Não bastam medicamentos, quando de fato, o problema está na baixa densidade nutricional dos alimentos ingeridos, ricos em calorias vazias (uma bomba de energia, que não traz nutriente nenhum), cheios de açúcar sob as mais variadas formas (cuidado com o xarope de milho rico em frutose, é veneno puro); lembre que vc come, em média, 3x por dia desde quando nasceu e fará isso até o último suspiro. A ação deve ser conjunta; o tratamento deve ser medicamentoso, dietético e físico. Se não, não melhora mesmo.

Então, é claro e evidente que temos sim, muito a fazer para fugir desta arapuca perigosa.

Leia os rótulos dos alimentos que consome: Itens impronunciáveis provavelmente não são comidas. Fuja!

Prefira uma dieta rica em alimentos naturais e beba água. Se vc prefere processados ou refrigerantes (inclua aqui toda sorte de bebidas adoçadas), a chance de “ganhar” esta Síndrome X é alta. Mexa-se! O sedentarismo é a base de toda esta disfunção.

Durma bem e evite o uso de remédios (controlados ou “tarja-preta”) para este fim; o sono que ocorre sob efeito sedativo não é reparador. O corpo organiza e regenera a sí mesmo durante a noite. É fundamental o ajuste do ritmo circadiano (ou cerca de um dia) ou ciclo sono-vigília ou ciclo claro-escuro de forma fisiológica e não, medicamentosa. Aqui a prática regular de atividade física que vc realize feliz atua muito bem.

Conte com o nutricionista e o educador físico para te orientar da melhor forma para que você seja individual e único.

Aprenda a defender-se!

 

Um grande abraço,

Dra Janaína Barboza

Médica Prática Ortomolecular

CRM 52. 82. 724-0

 

Colar Morotolata Branco Banana - Rede Asta

Colar Morotolata Branco Banana – Rede Asta

Comprar

Não existe comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress Appliance - Powered by TurnKey Linux