Transformando lixo plástico em oportunidades de estudo

Salve, Glorioses. Todos os meses procuro trazer para vocês projetos ou iniciativas que  pratiquem os passos que a Agenda 2030 nos orienta,  para chegarmos ao status de uma sociedade sustentável. 

Encerrando setembro, que teve como tema os Objetivos 13 (Tomar medidas urgentes para combater a mudança climática e seus impactos) e 14 (Conservação  e uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável), compartilhamos o exemplo de uma escola que começou uma grande transformação com um pequeno passo. 

A Fundação Akshar transformou o lixo plástico  em moeda , usada para incluir alunos carentes, enquanto poupa a natureza, ensinando sobre responsabilidade ambiental.  

A Índia é um dos maiores países do mundo, com população que ultrapassa 1,3 bilhão de habitantes. A produção de lixo em grande escala é um dos maiores problemas rumo à sustentabilidade. 

A escola funciona como um ambiente modelo para métodos de ensinos inovadores. Sua metodologia é baseada na filosofia Nai Talim, de que aprendizado e trabalho caminham juntos, e, assim, tem nos alunos não só ouvintes mas agentes da transformação. É na prática que eles vivenciam o valor do aprendizado, do ensino, do cuidar e do preservar até que, e em determinado grau, passam a atuar como mentores das turmas menores. Assim, os mais novos têm acompanhamento particular, e os mais velhos aprendem um novo ofício,  recebendo por isso.

Ainda que a escola sobreviva de doações, cada aluno deve trazer 25 itens de lixo plástico por semana, utilizando os descartes  como a base do ensinamento. Os mais velhos podem atuar no centro de reciclagem da escola, transformando todo material em tijolos ecológicos. Todos os alunos também vivenciam o trabalho comunitário, cuidando do abrigo de animais da escola, desenvolvendo projetos de melhoria para a própria comunidade e habilidades que possam atender às necessidades locais, como primeiros socorros e resposta a desastres.

Sustentabilidade também significa viver em comunidade, sendo  responsável por si e pelo outro, e o modelo Nai Talim ensina os estudantes a assumirem essa responsabilidade pelo seu entorno e a se esforçarem para melhorá-lo. 

Transformar a Índia em um exemplo de sustentabilidade é um desafio com muitos obstáculos.  Aqui no Brasil não é muito diferente. Somos o maior país da América Latina e também temos desafios em fazer esta rede do bem, de pensamento sustentável, alcançar cada vez mais pessoas. 

E é este o ponto da Fundação Akshar, que foca nas boas práticas diárias e em apresentar novas perspectivas para essas crianças. A longo prazo elas desenvolverão um olhar responsável, fundamental para a sociedade sustentável da qual fala a Agenda 2030.

Vamos nos inspirar? Para conhecer todos os projetos da escola, acesse aqui.

 

 

 

 

 

Não existe comentário.
Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress Appliance - Powered by TurnKey Linux