Vagalume O Verde

Unindo carnaval e sustentabilidade, o bloco Vagalume O Verde é pioneiro no Rio de Janeiro e leva cerca de 30 a 40.000 pessoas às ruas promovendo muita festa mas também conscientização ambiental. O projeto nasceu em 2005 e tem como fundador Hugo José Camarate, produtor cultural nascido na comunidade do Horto Florestal, zona sul carioca ao lado do Jardim Botânico, onde há 14 anos o bloco desfila.

Mais do que um bloco de expressão cultural, o VOV é também uma Organização Sociocultural e Ambiental, cujo objetivo é: “Contribuir para o fortalecimento do carnaval de rua e fomentar a prática de soluções sustentáveis na realização do evento e sua cadeia produtiva considerando alternativas economicamente viáveis, socialmente justas e ambientalmente corretas.”

VOV leva 50.000 foliões para o Jardim Botânico. (Foto: O Globo)

Como contou ao portal Rio on Watch, especializado em difundir produções culturais das comunidades cariocas, o Vagalume O Verde surgiu das próprias memórias e da relação de Hugo com o patrimônio cultural do Horto. A região é de extrema valia para a memória do Rio de Janeiro, habitada desde o século 16 por escravos indígenas das plantações de cana. Anos depois, com a implementação do Jardim Botânico no início de 1800, o trabalhadores também passaram a se instalar nessas terras. Desde então, famílias constroem há gerações seu legado em meio à mata, abaixo do Cristo Redentor.

O Horto é conhecido por sua biodiversidade, e é esse contato profundo com a natureza que Hugo transmite para o público com o Vagalume. Além, é claro, de manter viva a cultura popular de rua da comunidade, como nos anos de sua infância. Da falta dos espaços de festa que viu desaparecer ao longo dos anos, surgiu a vontade de criar um projeto que ligasse memória, meio ambiente e o patrimônio cultural do Horto.

“E a coisa deu certo. A gente começou a se caracterizar, desde a coisa mais simples que a gente poderia fazer, no caso reaproveitar o material, para construir uma alegoria, um adereço ou uma fantasia. A gente mergulhou no implemento da Norma ISO 20121 que é uma norma internacional de gestão de eventos sustentáveis.”

 

Vagalume O Verde: Carnaval Consciente

Com o crescimento do bloco, não só mais pessoas passaram a ocupar as ruas nos dias de festa como outros projetos se uniram para colaborar com o Vagalume nessa missão de fazer um carnaval mais sustentável e responsável. Hoje fazem parte dessa parceria diversos coletivos e projetos socioeducacionais que pensam a informação e a sustentabilidade no espaço urbano, como o Bota pra Girar, Propósito 8, Mais Trilhas, StandUpet, além do Galpão de Artes Urbanas da Companhia Municipal de Limpeza Urbana, espaço de  intervenção artística em torno do reaproveitamento do lixo. O Vagalume O Verde também esteve presente na ação de limpeza do Canal Marapendi, na zona oeste da cidade, como já relatamos aqui em nosso blog.

Foi no Galpão, que acaba sendo um ponto de encontro entre essas e outras iniciativas, onde ocorreu oficinas de bolsas com lonas doadas à Comlurb e cedidas para o bloco. É com bolsas como essa que o bloco promove, como fez em 2017 em meio a 50.000 foliões, a coleta do lixo que o próprio bloco deixa pelo caminho a fim de destiná-lo de forma correta a cooperativas de reciclagem. Cerca de 100 integrantes participam da ação com uma bolsa reciclada cada.  Outra iniciativa super importante do projeto é o plantio de mudas.

Desde o início de suas atividades o bloco neutraliza o impacto de seu desfile com plantio de mudas nativas da Mata Atlântica. No ano passado, o Vagalume realizou uma parceria estratégica com a Companhia Estadual de Água e Esgoto, a Cedae, para contribuir com o desenvolvimento das ações socioambientais do Programa Socioambiental e de Adequação Ecológica no Complexo Naval Guandu do Sape. Juntos, reflorestaram área degradada às margens de um dos afluentes do Rio Guandu, num total de 650 mudas. Em 2017, foram cerca de 500, principalmente ameaçadas de extinção.

Para o Carnaval 2019, o bloco vem fazendo ensaios abertos desde o começo de janeiro. O próximo será depois de amanhã, no próximo domingo (dia 10). O encontro será às 14 horas,  na Lagoa Rodrigo de Freitas, ao lado do Heliponto. O valor de entrada é de 20 reais, com desconto de 50% colocando seu nome no mural do evento no Facebook.  Todo lixo produzido no dia será descartado nos próprios coletores do Vagalume, e eco copos reutilizáveis serão disponibilizados no local, abolindo o uso de descartáveis.

Em fevereiro, a bateria do Vagalume O Verde continuará seus ensaios todas as segundas-feiras do mês, em uma preparação sequencial para o Carnaval, que neste ano será oficialmente no dia 05 de março. Para não perder nenhuma data, não deixe de acompanhar o VOV no Instagram.

Não existe comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress Appliance - Powered by TurnKey Linux