A vez da diversidade na moda

A pluralidade e a diversidade vem ganhando cada vez mais espaço na mídia nos últimos anos. Muito por reparação de ações racistas de grandes marcas da industria da moda, mas o fato é que as coisas estão mudando. As redes sociais deram voz a uma comunidade marginalizada que agora toma poder de seu lugar de fala, questionando e exigindo representatividade.

O conselho de moda Norte Americano, apresentou um relatório que mostra resultados muito insatisfatórios sobre a participação de minorias na indústria.  Grandes marcas resolveram olhar com cuidado para este fato ressignificando sua criação de conteúdo. A mudança começou, e diversas empresas do setor pretendem transformar  a história que estão contando através de suas publicidades.

A Prada, foi acusada de racismo após lançar uma coleção de bonequinhos “Pradamalia” que apresentavam um design de personagens com fenótipos negróides, e foi acusada de blackface.  Após este fato, a marca criou um conselho para incentivar a diversidade dentro da marca. Como presidentes deste projeto, Ava DuVernay, mulher negra roteirista e diretora de grandes produções. E  ao seu lado, Theaster Gates, homem negro, artista e diretor de arte renomado e premiado por suas criações.

Reparação e inclusão

A Gucci, apresentou um programa intitulado “Changemakers”, pela inclusão de diversidade na indústria da moda. Depois da polêmica venda de um suéter que remetia ao blackface, a marca se comprometeu a diversificar seu time de colaboradores.  Já o projeto Gucci Changemakers, apresenta 3 propostas. Um fundo que vai investir cerca de 5 milhões de dólares em ONGs voltadas a apoiar comunidades afro-americanas. Além de um programa de bolsa de estudos de 1,5 milhões para aspirantes a moda e uma iniciativa voluntária que  abrange toda a empresa. A intenção é incentivar a inclusão em diversas partes da indústria.

No Brasil, após grande repercussão negativa sobre o tema da festa de aniversário de 50 anos da ex-diretora de estilo da Vogue Brasil, Donata Meirelles. A revista anunciou em uma nota de esclarecimento, o comprometimento em ampliar as vozes dentro da equipe e criar uma comissão permanente formada por ativistas e estudiosos para ajudarem a definir conteúdos e imagens que combatam a desigualdade.

A diversidade em todos os setores é essencial para um olhar plural e empático não apenas na criação de conteúdo mas  no dia a dia. Impactar positivamente o planeta e por consequência as pessoas é indispensável nesta nova Ecoera.

 

 

 

 

 

Não existe comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress Appliance - Powered by TurnKey Linux